Cocção de alimentos com energia solar é novo mercado para setor de aquecimento

feb editado

Um dos temas de maior interesse nos últimos tempos é o uso da energia solar. Com a escassez de recursos naturais e o aumento do custo da energia elétrica, novas formas de geração de energia têm sido apresentadas e ampliadas.

Isso também foi tema da Febrava, maior feira da América Latina para os mercados de refrigeração, ar condicionado, ventilação, aquecimento e tratamento de ar. Em palestra realizada na manhã do dia 24/09, o professor universitário de Lisboa, Celestino R. Ruivoa, apresentou sua experiência em como há expressivo ganho de energia quando se aplica a energia solar na cocção de alimentos, criando assim uma cozinha solar, ou, como ele mesmo  chama, a “solar cookit”, um projeto criado para desenvolver e otimizar diferentes modelos de cozinha solar de baixo custo, que inclusive o próprio utilizador pode construir facilmente.

“A Febrava é uma feira que tem como missão mostrar tudo que está relacionado a tecnologias ligadas à climatização. O ambiente da cozinha ganha cada vez mais importância, seja pelo aumento do consumo da alimentação fora do lar, seja pelo aumento da qualidade dos alimentos produzidos. Por isso, a Febrava mostra todos os cenários, atuais e promissores, para as empresas que atuam com produtos e serviços em HVAC-R”, explica Igor Tavares, diretor do evento.

A Febrava vai até sexta, 25, no São Paulo Expo Exhibition & Convention Center. Com entrada gratuita para profissionais do setor, é a oportunidade para ter acesso direto as novidades de mais de 600 marcas expositoras, além da imersão em palestras, workshops e ilhas temáticas.