Como abrir uma empresa no Brasil? A Arsopi te mostra três passos fundamentais!

abrirempresa-arsopi-santos2016

O objetivo de uma nova empresa no mercado é simples: apresentar seus produtos e soluções para assim conseguir novos clientes. Mas, como fazer isso?

O Grupo Arsopi, que foi fundado em 1942, está presente no mundo inteiro. Porém, a Arsopi Equipamentos Industriais e Automação é uma empresa relativamente jovem no mercado brasileiro, mas já com grande experiência de instalação de equipamentos no setor de Oil&Gas. Tiago Pinho, Diretor geral da marca, define alguns fatores determinantes para uma empresa abrir suas portas no país com estabilidade e muito sucesso. Confira!

1. Definir seu público-alvo: sim, é uma categoria óbvia, mas toda empresa precisa ter definido em seu escopo qual persona, público ou setor deseja atingir com seu produto (acredite, é preciso muito trabalho para definir isso!);

2. Contratar profissionais e fornecedores confiáveis: combinação ideal para que você também forneça o melhor produto e serviço para seu cliente;

3.  E por último, mas não menos importante: expor numa feira de negócios! Afinal, é o local onde todo o setor estará reunido, sendo assim oportunidade ideal de apresentar ao mercado e aos potenciais clientes deste segmento os produtos e valores da empresa.

Quer saber mais? Confira abaixo a entrevista exclusiva com Tiago na íntegra!

Esse ano a Santos Offshore estará junto com a Feira da Mecânica, e levará o melhor dos dois setores no espaço ideal para gerar negócios, fazer networking e ampliar sua rede de fornecedores e clientes. Já fez seu credenciamento? Você não pode perder a oportunidade única de encontrar o setor de offshore e industrial em um só local, em São Paulo!

1. A Santos Offshore está em sua 8ª edição. É a primeira vez que a Arsopi expõe no evento? Quais fatores foram determinantes para escolher essa feira?

Sim é a primeira vez que estamos expondo na Santos Offshore. Participei, como visitante, da última edição da feira e apercebi-me que a mesma reunia os diferentes players da cadeia de valor do Oil&Gas, com especial enfoque nos projetos Offshore. Como somos uma empresa relativamente jovem no mercado brasileiro, mas já com uma grande experiência de instalação de equipamentos no setor de Oil&Gas, concluímos que seria importante estarmos presentes na feira para nos apresentarmos ao mercado e aos potenciais clientes deste segmento.

2. Sabendo que este ano a Santos Offshore acontecerá juntamente com a Feira da MECÂNICA, que por sua vez atrai mais de 100 mil visitantes da indústria, qual o público alvo da marca no evento?

Aproveitando essa parceria entre as duas feiras vamos poder alargar em muito o nosso público alvo e apresentar o nosso portfólio de produtos para muitos outros segmentos de mercado. O principal produto que vamos apresentar na feira são os trocadores de calor a placas que atendem uma grande diversidade de aplicações em vários segmentos de mercado industrial. Assim juntamos segmentos como o Químico, Papel e Celulose, Metalomecânico, Metalúrgico, Automotivo e Energia ao segmento de Oil&Gas como segmentos de interesse e alvos da ARSOPI para este evento.

3. O grupo Arsopi já está no mercado internacional há mais de 70 anos. Quais fatores foram decisivos para a marca vir para o Brasil? Qual a história por trás da empresa para que ela decidisse escolher investir e ingressar no mercado de aço?

O desejo de vir para o Brasil já estava no pensamento da Administração do grupo Arsopi há muitos anos. Entretanto por um ou outro motivo o nosso estabelecimento somente se concretizou há cerca de três anos. O Brasil por si só tem um mercado interno muito grande e muito interessante para qualquer empresa. O Grupo Arsopi já fornecia equipamentos para o Brasil a partir de Portugal, no entanto percebíamos que para aumentar esse volume de fornecimentos e também dar um atendimento mais ágil e de qualidade aos nossos clientes precisávamos de ter presença física no Brasil. Atualmente a indústria brasileira necessita de se modernizar e automatizar para se tornar mais produtiva e competitiva não considerando só o mercado interno, mas também com vista a exportação. O fato de apresentarmos uma grande experiência e know-how no desenvolvimento e fabricação de equipamentos de elevada tecnologia e automação para as indústrias de processo faz-nos pensar que podemos fazer parte deste projeto de modernização e evolução da indústria transformadora brasileira. Por outro lado, também acreditamos que o Brasil seria o país com as melhores condições para a instalação da nossa Unidade Industrial, com a perspectiva de no futuro se tornar na plataforma para fornecermos máquinas e equipamentos para toda a América Central e do Sul.

Como todos os negócios de sucesso, a Arsopi nasceu de uma necessidade do mercado que, neste caso particular, tinha uma demanda por máquinas para a indústria de laticínios. Com o passar dos anos e o crescimento da empresa a Arsopi foi diversificando os mercados de atuação mas sempre trabalhando com o fornecimento de equipamentos em ligas de aço, materiais em que se foi especializando e adquirindo ferramentas especificas para o seu manuseio e transformação. Com o aumento de conhecimento alargou a sua fabricação para equipamentos em metais especiais para aplicações com um grau de exigência a nível de condições de operação, como temperatura, pressão, ambiente, etc., elevado.

4. O setor offshore está enfrentando um momento delicado na economia brasileira. Como você acha que o setor ficará nos próximos anos? A empresa está confiante no futuro desse setor tanto no país quanto no mundo?

Este foi um setor que na primeira década deste século viveu momentos de enorme euforia, em alguns casos e países exagerada. Essa euforia deveu-se ao aumento da demanda por combustíveis fósseis, devido ao forte crescimento das economias emergentes, e consequente aumento no preço do barril de petróleo. Como sabemos de alguns anos para cá existe uma preocupação, de forma generalizada em todos os países, em encontrar alternativas aos combustíveis fósseis pois suas reservas são finitas. Com o aumento continuado do barril de petróleo, o investimento no desenvolvimento e implementação dessas alternativas de energia tornaram-se viáveis economicamente e muitos países. Ao mesmo tempo alguns países, com os Estados Unidos na linha da frente, apostaram no shale oil e shale gás que acabou por aumentar a oferta de petróleo e gás no mercado mundial. Com uma oferta elevada e uma procura reduzida fruto do abrandamento econômico mundial o preço do barril do petróleo voltou a baixar fortemente. Uma vez que os custos de exploração em offshore são mais elevados que a exploração onshore, este setor é o primeiro a ser afetado por essa baixa do preço. De qualquer forma as grandes companhias mundiais não vão abandonar o offshore pois elas têm um portfólio de reservas onshore e offshore muito grande que lhes permite manter esse investimento. Por outro lado, precisarão de fazer investimentos em novas tecnologias para modernizar os seus equipamentos e assim reduzir os custos de operação. Posto isto acreditamos que haverá uma retomada dos investimentos no setor que no caso do Brasil são muito importantes.

5. Quais ações a Arsopi, que está no mercado brasileiro há três anos, está investindo para superar o atual cenário econômico desafiador com estabilidade e margem para crescimento?

Este cenário econômico é difícil para todos e ainda mais para uma empresa recém instalada cujas operações ainda não estavam em pleno quando a crise econômica atingiu o Brasil. No entanto nós também vemos esta crise atual como oportunidade para nos prepararmos e organizarmos com mais calma a fim adaptar as nossas soluções tecnológicas às necessidades do mercado brasileiro. O objetivo é aproveitar este momento menos bom da economia para nos consolidarmos no mercado e nos prepararmos muito bem operacionalmente para que quando a retomado chegar estarmos ainda mais qualificados para dar uma resposta de qualidade as demandas dos clientes.

 

6. Sua empresa já tem definido quais os produtos e qual o foco terá na exposição da Santos Offshore 2016? Pode compartilhar?

O nosso foco para esta exposição serão os trocadores de calor a placas, produto que estamos fabricando no Brasil. Dentro da nossa gama de trocadores, a Arsopi estará promovendo os trocadores de calor a placas de grande capacidade (a nossa gama vai até placas com bocais de DN600 mm e vazões até 5.000 m³/h) e também soluções em materiais especiais com muita aplicação em plataformas Offshore. Estaremos com alguns equipamentos de médio porte em exposição para que o visitante possa aferir da qualidade de fabricação dos nossos produtos.

*Texto produzido por Helena Paes – Reed Exhibitions Alcantara Machado