Como será 2017 para as indústrias de móveis?

movexpo_ariPor Ari Bruno Lorandi

 

Conforme se aproxima o final deste ano, já considerado por muitos como mais um ano perdido para as indústrias de móveis brasileiras, a pergunta que surge é: Como será 2017?

É importante lembrar que a indústria acumula perdas de mais de 35% em volume de produção considerando o recuo de 7,4% em 2014, mais 14,6% em 2015 e 13,4% no acumulado de janeiro a agosto deste ano. Com tudo isso, a produção de móveis no Brasil retornou aos patamares de 2010, ou seja, um pouco pior do que o setor automobilístico em que a produção atual é equivalente à de 2012.

Mas 2017 será um ano bem diferente dos últimos três anos. Existem bons sinais na economia, principalmente após a saída de Dilma Rousseff. A estimativa que já foi apresentada no Gold Map 2017 (estudo de mercado do Intelligence Group), é que a produção deve subir entre 10% e 12% na comparação com 2016.

Será um bom alento, não para todas as indústrias, mas para aquelas que estão fazendo o dever de casa e, principalmente, investindo em desenvolvimento de produtos e em marketing. Afinal, quando o mercado voltar a crescer, as indústrias que estiverem mais próximas de seus clientes se sairão muito melhor.

*Ari Bruno Lorandi, diretor do Intelligence Group e palestrante na Movexpo 2017