MOVIMAT: “Um espaço onde há síntese logística”

5

Entrevista com  Pedro Moreira, presidente da Associação Brasileira de Logística (Abralog)

Assim como acontece em todo o mundo, os gastos logísticos vêm crescendo também no Brasil. Com a ascensão da classe C no país, que somente entre 2004 e 2010 foi de 32 milhões de pessoas, segundo dados do Ministério do Desenvolvimento Social, os consumidores estão mais exigentes e querem serviços rápidos e mais eficientes. Uma pesquisa da Gouvêa de Souza e Accenture indica que 94% dessas pessoas, que não são atendidas pela falta de estoque, comentam “suas decepções” com conhecidos. Por isso, a logística precisa ser cada vez mais excelente. Com foco nesse mercado, a Reed Exhibitions Alcantara Machado realiza a Movimat, plataforma para prospecção de clientes, vendas e demonstrações de equipamentos, serviços e soluções em logística, intralogística e veículos urbanos de carga. Para falar um pouco mais do mercado e da importância da Feira, o ReedAutos entrevistou Pedro Moreira, presidente da Associação Brasileira de Logística.  Confira nosso bate-papo:

 

Reed Autos -Como você analisa o papel da MOVIMAT como interface entre os colaboradores e as empresas de produtos logísticos?
Pedro Moreira – A MOVIMAT é, em si, uma interface importante para a logística e cadeia de suprimentos. Ela facilita e instiga durante três dias o convívio entre as forças do mercado especializado. É um amplo cenário que apresenta – e representa – o dia a dia das atividades logísticas. Desde o conteúdo técnico e teórico que coloca à disposição, aos lançamentos, inovações e ambiente de network. Ela coloca frente a frente quem conhece com quem pode comprar, com quem produz, e, principalmente, com quem decide tanto a estratégia e tática do negócio, quanto as aquisições de bens, equipamentos e serviços.
RA -Como está o mercado logístico de setores como alimentação e e-commerce? O Brasil tem conseguido bons resultados nessas áreas?

 

PM –O e-commerce avança em seus números e se expande rapidamente. Para se ter ideia disso, hoje eles estão entre os principais clientes das empresas que constroem e alugam centros de distribuição em condomínios logísticos. Os números do e-commerce são portentosos: em 2014, foram 100 milhões de pedidos e faturamento acima de 35 bilhões de reais. Esse faturamento veio de mais de 50 milhões de compradores, responsáveis por um valor médio de aproximadamente 300 reais. Já o setor de alimentação é também um forte tomador de soluções logísticas, seja nas empresas de varejo, nas de distribuição ou no pequeno comércio. Ambos são mercados em que a precisão é fundamental: o e-commerce pela premência da entrega, pois quem compra quer receber; e o alimentício por sua característica de refeição, que contempla perecibilidade e necessidade de sortimento amplo.
RA – A logística é um mercado que está na contramão da crise? Os números atuais parecem ser otimistas. Qual a sua opinião?


PM –
A logística tem feito o seu papel em anos seguidos de baixo crescimento, falta atávica de infraestrutura e sistema tributário dilacerante. Apesar disso, se o cenário está para baixo, a logística aponta para cima. As empresas e os profissionais têm feito essa diferença. Há nichos que frequentam há alguns anos o patamar dos dois dígitos de crescimento, como os operadores logísticos.

RA – Como a MOVIMAT pode contribuir para o mercado logístico?

PM – A MOVIMAT é a maior vitrine da logística brasileira, um espaço onde há a síntese logística: conhecimento, por meio da Conferência Nacional de Logística, conteúdo que é oferecido pela Abralog, novidades em produtos e serviços e um ambiente de negócios com forte tradição. Ano a ano o evento vem se inovando. E não será diferente nessa edição de 2015 onde teremos um leque de soluções em equipamentos, softwares, hardwares, serviços, embalagens, distribuição urbana, sustentabilidade, entre outras.