Nordeste é o segundo maior mercado para colchões no Brasil

quarto-com-rede

Por Ari Bruno Lorandi

O mercado do Nordeste vem se consolidando como o segundo maior consumidor do Brasil, principalmente em razão da evolução da economia e demanda reprimida. Aliás, costumamos dizer que o Nordeste precisa de mais de 20 anos de expansão acelerada de consumo para alcançar os mesmos padrões das regiões Sul e Sudeste. Essa expansão do mercado é muito bom para todos, é bom para as indústria, é bom para o varejo e até para os próprios nordestinos. Embora a região, como todas as demais, tenha sofrido por causa da crise econômica, continua valendo a previsão de que em 2025 o Nordeste representará 25% do PIB brasileiro.

 
No setor moveleiro, o Nordeste está se consolidando como o segundo maior mercado de colchões, e isso é sintomático de uma nova postura cultural, afinal dormir em rede era um hábito antigo. Mas, isso está mudando, a julgar pela expressividade do volume de dinheiro disponível para a compra de colchões: Em 2017 serão quase R$ 1,7 bilhões, ou seja, 20% de tudo o que vai ser vendido no País e, desse valor, quase metade (48%) são somente de Pernambuco e da Bahia.

 
Portanto, se você produz colchões e quer consolidar sua presença neste mercado, a Movexpo 2017 é uma ótima vitrine.

*Ari Bruno Lorandi, diretor do Intelligence Group e palestrante na Movexpo 2017